Blog

set 12

Quantidade é qualidade na comunicação com funcionários?


Não basta apenas lotar a caixa de mensagens do colaborador com dezenas de comunicados se eles não informam, de fato. 

O colaborador deve ser tomado como agente principal da comunicação interna e os veículos devem refletir a diversidades de públicos, dando a eles chances de se envolver na produção de textos, através da sugestão de pautas para entrevistas e reportagens. Se o jornal interno fala apenas da diretoria, os funcionários dos demais setores acabam não se sentindo sujeitos da história da organização.

Colaboradores sem informação começam a se sentir pouco engajados e desestimulados, especialmente por considerarem que a atividade que desempenham não vem recebendo o devido destaque nos veículos, ao lerem somente matérias oficiais, positivas e do universo corporativo “cor de rosa”. Por isso, é preciso ouvir os funcionários, conhecer seus hábitos, o que preferem ler, ouvir, a forma como desejam receber determinada mensagem e realizar periodicamente pesquisas sobre as práticas de comunicação interna. 

Como o público interno é o principal disseminador da imagem da empresa (são os embaixadores da marca), é preciso que ele seja considerado prioritário no desenvolvimento das políticas de comunicação, sendo permanentemente ouvido e consultado, para que as ações realizadas sejam eficazes e fortaleçam a missão, visão e valores.

Gostou do texto? Compartilhe e comente!

Texto:  Isabela Pimentel
Consultora, Fundadora da Comunicação Integrada
Fotografia: Estúdio Semente

Fonte de imagem: Depositphotos

 

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *